Chorando a jaqueta Hard Rock derramada

Quem acompanha a nossa fanpage viu que ontem postamos uma lista do Buzzfeed (UM BEIJO BUZZFEED) com os 42 itens de moda que qualquer garota que tenha vivido no Brasil nos anos 90 teve. Não preciso nem falar no alvoroço que foi. Todo mundo enlouquecido com as pulseiras de miçanga e gargantilhas de tatuagem tribal.

Compartilhei o post na minha timeline e, junto com ele, contei uma história – dentre as várias que eu tinha pra contar em relação às peças IT dos anos 90 – de como o meu sonho era ter uma jaqueta do Hard Rock Cafe.

il_fullxfull.287087184

Gente, não é brincadeira. Era um sonho, sonho mesmo. Eu via as pessoas usando aquela obra de arte em jeans e pensava: “nossa, como ele deve ser rico”. Aquilo pra mim cheirava sucesso. Na minha cabeça, todo mundo que usava Hard Rock Cafe tinha também automaticamente uma mochila da Company, um moletom da Pakalolo, um gloss de menta da Avon e uma casa com sacada (todos os itens representantes da palavra “riqueza” para a Lorena dos anos 90).

Posso falar? Não ter tido a jaqueta me dói. Eu aqui, no alto dos meus 27 anos, reclamando da estupidez da juventude atual, pensando estar cada dia mais próxima da tão sonhada “tacaprofoda-sezisse” na vida, me pego desejando uma jaqueta jeans forjada lá pelos idos de 95 e sofrendo pela falta que ela poderia ter me feito aos nove. Vejam, ela não me fez falta aos nove. Me faz hoje, anacronicamente.

E aí, olha que loucura: fiquei pensando que as crianças devem ser uns bichos realmente muito resilientes, porque eu não me lembro de ter sofrido tanto por querer uma jaqueta que eu jamais teria. E quando eu ganhei um tênis “Reborok”, achei engraçadíssimo, mesmo sendo zuada por dias. Me recuperei rápido por ter sido chamada de “coxinha” na escola (mas também, com o sobrenome Salgado a piada fica quase pedindo pra ser feita) ou por ter recebido o apelido carinhoso de “Tô raso, tô fundo” das primas por ter uma perna ligeiramente (risos) mais curta que a outra. Isso não me causava dor alguma aos dez anos – chegando eu aí à conclusão de que crianças se recuperam rápido frente a situações adversas. Mas agora estou eu aqui, mais uma vez no alto dos meus 27 anos, chorando a jaqueta Hard Rock derramada. Gente, chorando. Sentindo “saudades do que nunca vivi”. E aí a gente entende que a criança aguenta firme e forte, mas vira um adulto todo quebradinho por dentro.

Crescendo, a gente aprende a transformar todas essas experiências de infância em histórias engraçadas pros amigos (acreditem, a história do Reborok é um sucesso na mesa de bar), mas vez ou outra um lampejo de sanidade faz a ligação entre cada uma das nossas neuras, cismas e problemas de aceitação atuais com aqueles dias lá em 94 em que nos chamavam de “Popotinha, a poupança da alegria”.

Estou certa de que todo mundo se deixou influenciar pela opinião alheia, pelo tênis que o amigo tinha e a gente não ou pelo apelido engraçadinho que parecia nem incomodar. E se permitiu crescer com essas rachaduras, sem saber que elas são suficientes para enfraquecer nossa estrutura. Para tentar consertá-las, cada um vai à sua moda: faz piada, faz terapia, faz merda, faz filhos.

Eu vou começar comprando uma jaqueta do Hard Rock Cafe.

Anúncios

Not-so-look do dia: Blazer e jeans

Começando mais uma semana já com o sentimento de que essa vida adulta não dá trela pra ninguém.

imagem: google

Como eu acordei hoje querendo nunca mais ter que trabalhar, ou ganhar dinheiro, ou lutar pela minha sobrevivência, tive que me vestir de modo a esconder todo esse sentimento destrutivo. Como? Sendo adulta! E como ser adulta em apenas um passo? Usando um blazer!

Nós falamos muito de blazer aqui e, apesar de amá-los muito, não é uma peça que eu uso toda semana. Hoje, o friozinho estava presente e foi ele que me salvou. Vamos à produção nada complexa (e com foto de celular):

imagem: not so it

 

imagem: notsoit

Desnecessário o close no pé, né? Malz ae.

Blazer: Renner 
Camiseta listrada: Keeper
Jeans: roubado do armário da mãe, tenho nem ideia de onde é
Sapatilha: C&A
Bolsa: Rainha de Laço

O blazer da Renner já é bem antiguinho. Na época, foi uns R$120. Vale ressaltar que eu comprei um outro blazer E-XA-TA-MEN-TE igual, com o mesmo acabamento interno (e até com um botão mais bonito e uma etiqueta “Zara” pra completar) no Ebay, e custou $12. Sem frete. Pois é.

A sapatilha foi R$29,90 e também é bem antiga. Se eu tivesse algum compromisso mais sério, até colocaria um salto. Mas, como iria ficar sentadinha no escritório da Not so it o dia inteiro, achei que não teria problema quebrar a “adultice” com a sapatilha engraçadinha. Pra não ficar tudo “combinandinho” de preto, branco e vermelho, escolhi essa bolsa amarelona, que deu uma bagunçada boa no esquema de cores, mas eu nem liguei. De resto, é blusa básica de malha e o jeans dobradinho (que, diga-se de passagem, não me serviu, mas a gente usa mesmo assim).

Maquiagem quase inexistente com o BB Cream da L’Oréal, blush rosinha e rímel. Pá pum.

Essa semana voltamos com mais coisas da vida de uma not-so-it girl.
Ah, e obrigada a todo mundo que comentou no último post de desabafo e elogiou o texto. Lágrimas rolaram de emoção! ❤

Beijocas e boa semana pra todos nós! 

Lorena

Not-so-look do dia: Jaws, calça masculina e meu sapato favorito

Em um dos primeiros “not-so-looks do dia” que eu postei aqui no blog (saudades 2011) (só que não mesmo), eu expliquei que o título da tag não era à toa. Realmente, vocês nunca vão ver produções mega elaboradas por aqui, porque não é assim que a banda toca no coreto da Lorena. 80% dos dias eu acordo sem qualquer inspiração e eu sou uma bagunça na hora de escolher o que vestir. Tem dias que eu me sinto a pessoa mais alternativa dentro do rock no mundo, outros eu acho que sou a executiva de contas de uma multinacional. Com isso, vem uma DISLEXIA FASHION (sério, vou patentear o termo) absurda, que resulta em manhãs vestindo tênis e camiseta, tardes de saia lápis e camisa de botão e noites de saia bandagem e tomara-que-caia (essa última parte é mentira).

Como eu atualmente ando numa DIETA FASHION INVOLUNTÁRIA devido à mais pura falta de dinheiro, o que eu mais faço é repetir roupa e acessório. E cabelo. E maquiagem. Nesse dia, eu fui tomar uma cerveja com o namorado e não tinha razão para emperequetamento (do verbo “emperequetar”). Por isso, fui direto no que não tem erro pra mim:

imagem: notsoit

Camiseta: Marisa;
Calça jeans: C&A;
Bolsa: Ebay;
Espadrilha: Renner;
Acessórios: Rita de Cassia, minha mãe.

A espadrilha comprada no Rio (que eu conto aqui) virou meu sapato favorito de todos os tempos. A bolsa… bom, é a única preta que eu tenho at the moment. A camiseta é a mais linda paixão, diretamente da Marisa por míseros R$19,90. E a calça tem um truquezinho (que eu já dei spoiler no título): ela é masculina!

Eu tenho 1,76m de altura e visto 44. Pode parecer bobagem, mas é impossível achar calças jeans pra mim. Elas ficam curtas e geralmente, quando ficam boas na cintura, ficam largas no bumbum e na perna. Então, um dia, resolvi fazer algo diferente: experimentei uma calça masculina e funcionou! Claro, não são todas. Eu procuro as slim e skinny da C&A, com elastano, sempre uns dois números menor do que seria a feminina (a doce ilusão de se vestir 40). Elas têm a cintura mais alta (amor ❤ ) e ficam num comprimento ótimo pra mim. Então, meninas que sofrem com isso, façam o teste! E me contem aqui se deu certo!

Prometo trazer, caso seja do interesse de alguém, algumas fotos mais detalhadas de acessórios – quando valer a pena!

Beijos!

Lorena

Dicionário Ilustrado: Jeans Masculinos

(música de introdução de filme de Hollywood)

EIS QUE ELE CHEGOU, AMIGOS! O NOSSO MUITO ESPERADO E NECESSÁRIO DICIONÁRIO ILUSTRADO DOS JEANS MASCULINOS!

(palmas)

O notsoit preza por uma convivência pacífica no mundo. Para que isso aconteça, foi necessário que uníssemos os maiores experts em vestimenta masculina para bolarmos este glossário ilustrado e resumido do que os homens usam na parte de baixo. Sem ele, era possível que nós saíssemos por aí praticando o BULLYING contra qualquer um que usasse o tipo de calça errado.

Sugiro, meninos, que vocês leiam esse post ouvindo alguma coisa bem de macho, tipo Motörhead, sei lá, e que depois vocês chamem uma mina de gostosa e batam na bunda dela, para não se sentirem diminuídos em sua função masculina após conhecer os nomes dos jeans que vocês usam.

Regina, let’s go:

Como a descrição bem diz, essa é uma calça reta com lavagem. O que isso quer dizer? Quer dizer que a perna da calça segue quase reto da cintura até a barra, a deixando mais larga, especialmente nos joelhos. A lavagem é um processo pelo qual algumas peças passam que modifica a cor e alguns detalhes. No caso dessa da foto, ela ficou com um tom meio amarelado e com a perna desbotada.

Para os padrões notsoit de qualidade, essa é a calça que todos vocês, de qualquer idade, devem fugir. Mas, infelizmente, é o tipo de calça que vocês mais compram, porque as lojas vendem aos montes e vocês têm preguiça de experimentar outras e aceitam qualquer coisa que o vendedor joga em vocês e fim. Vocês conseguem notar como a barra da calça fica embolando lá embaixo? Isso deixa vocês com cara de dessarumadinhos e de adolescente na puberdade que não sabe comprar roupa. Portanto, NÃO.

NEXT!

Essa é uma calça reta sem lavagem. A calça sem lavagem deixa ela toda da mesma cor, estão vendo? Esse é um jeans mais claro, porém existem um milhão de outras cores. As escuras são sempre mais elegantes (se vocês são preguiçosinhos e não gostam de experimentar roupas, tenham sempre calças mais escuras para situações onde queiram parecer mais arrumados, tipo trabalho ou balada).

Mesmo sem lavagem, a calça reta continua com o mesmo problema. Se não estiver no tamanho correto, ou ajustada, ela fica “amontoada” na barra e com cara de “desleixo”. Mas, as calças retas são opções melhores pros meninos que têm a perna mais grossa ou mais gordinha. Mas, se necessário for, ajustem suas calças, meninos!

Ah, e importante: as calças retas não foram feitas pra serem usadas lá embaixo, aparecendo a cuequinha, que nem mano do rap. É quase sempre por isso que elas parecem MAL AJAMBRADAS (expressão de vó). Tem que usar elas bonitinhas, tampando a cuequinha, com o cós um pouco mais alto.

NEXT!

Estão ouvindo a música romântica no fundo? Estão ouvindo meu coração palpitar? Ai, calças slim escuras. Como é grande o meu amor por vocês.

A calça slim, ao contrário do que 99,8% dos heteros pensam, não é uma calça skinny. A slim é uma calça mais ajustada que normalmente tem stretch (todo mundo sabe o que é, né? Não precisa explicar…) em sua composição. Não fica grudada no joelho, mas também não fica a quilômetros de distância dele. Não fica justinha na bunda, mas também não sobra espaço pra você colocar um fusca lá dentro.

A calça slim combina com absolutamente todos os estilos: para o trabalho, com um sapato social e camisa; para os alternativinhos, com t-shirt e slip-on; para os leleskes da balada, com camisa Armani Exchange e cordão de prata (só que… né?) e para os meninos normais, com blusa branca e tênis. Não tem calça mais bonita do que uma slim escura e sem lavagem. E não, não é “coisa de viado”, nem parece calça “de cantor sertanejo”. Parem de inventar desculpas estúpidas para se vestirem mal.

Portanto, agora não tem desculpa. É só chegar na loja e falar: “eu quero uma calça SLIM escura, SEM LAVAGEM”. Se vocês forem atendidos por uma menina, ela vai querer casar com você.

NEXT!

Essa sim, é uma calça skinny. Skinny é uma calça com stretch, que fica realmente justa, parecida com as calças femininas. Certamente, não é uma calça para ocasiões formais, porque normalmente precisa ser acompanhada de um estilo que não cabe em certos eventos. Essa da foto é skinny, clara, com lavagem… ou seja: realmente, não é uma calça pra qualquer um.

Novamente, me sinto obrigada a dizer: calça skinny não é “coisa de viado”, “restart”, “mimimisoumachão”. Mas, realmente, não é uma calça que qualquer um pode pegar e usar. Aliás, até pode, mas existe a possibilidade de ficar esquisitinho ou fora de contexto. Porém, quando bem usada, ela é linda e dá um estilo daqueles.

Pronto, esse foi o nosso dicionário ilustrado. Usando uma expressão de vó mais uma vez, meninos: VOCÊS TÊM A FACA E O QUEIJO NA MÃO. Agora é só chegar na loja, pedir a calça pelo nome certo e sair gato na balada (ou no trabalho, ou no passeio, etc etc).

Beijos,

Lorena

Inspiração: Looks masculinos com camisa jeans

Boys and girls, how are you all feeling today?

As férias se aproximam, já sinto o cheiro de diversão no ar (diversão = ficar no 9gag o dia inteiro e assistir temporadas inteiras de séries).

E de que forma eu me divirto mais? Dando opiniões no estilo alheio! Ontem falei um pouco sobre o que os meninos podem ou não podem usar no verão, com base no que eu acho legal. Dentro das coisas lindas que podem muito, citei a camisa jeans, que é a minha paixão do momento, tanto para nós meninas quanto para os garotos. Mas eu sei que eles andam resistentes a essa moda, por algum motivo que eu desconheço.

Por isso, resolvi montar pra vocês, amores da minha vida, dois conjuntos de roupas com camisas jeans, para inspirá-los a ficarem ainda mais lindos para suas gatinhas. Pensei em praia, novamente, porque tenho pensado nisso com uma certa frequência. Vem comigô!

Primeiro, uma roupa bem casual, pra dar um passeio ou tomar uma cerveja à tarde com a moçadinha muito louca. Por favor, tenham em mente que a camisa jeans vem aberta, por cima da t-shirt, e com a manga dobrada! Vamos aos créditos:

Camisa jeans Renner: R$79,90
T-shirt de malha Renner: R$29,90
Bermuda Redley: R$234,00 – ela é dupla face, do outro lado é xadrez em vermelho e azul.
Tênis Redley: R$239,00

E uma roupa pra uma baladinha maneira, ou pra ir pra um barzinho à noite pra investir na paquera (hahaha). Morri com essa roupa inteira, e vocês vão morrer com os preços das coisas. Olha só:

Camisa jeans Renner: R$79,90
T-shirt Renner Planeta Atlântida: R$25,90
Calça jeans Renner: R$89,90
Sapato camurça Renner: R$99,90

Meninos, a camisa jeans é muito tranquila de ser usada. Se ainda com a inspiração vocês ainda estiverem resistentes à aderi-la, pensem que camisas sociais fazem o mesmo efeito (lógico, tendo o bom senso de escolher uma camisa que combine com o estilo… não vai pegar uma azul-motorista-de-ônibus e achar que tá tudo bem). Fica lindo, diferente e vocês vão chamar a atenção, com certeza.

Outra coisa: como no segundo visú, a camisa jeans pode sim ser usada com uma calça também jeans. Eu prefiro quando são de tons completamente diferentes (a camisa azul e a calça clara, por exemplo).

E aí, será que rola de usar a camisa jeans no verão?

Beijos,

Lorena